fbpx

Um novo relatório do Centro de Investigação Técnica da Finlândia (VTT), "Reciclagem de embalagens alimentares", destaca as soluções tecnológicas que se espera que se tornem comercialmente disponíveis nos próximos cinco anos, e diz que as parcerias são essenciais para proporcionar as inovações tecnológicas necessárias na reciclagem de embalagens de alimentos.

A equipa da VTT analisou os sistemas de reciclagem atuais e futuros para embalagens de fibra e de plástico, e refere que as alianças entre os proprietários de marcas, os desenvolvedores de tecnologia de reciclagem e triagem e as empresas de gestão de resíduos são fundamentais para o desenvolvimento de soluções de reciclagem.

Reciclagem embalagem alimentar

As parcerias, revela o relatório, são essenciais para o investimento futuro em novas tecnologias de reciclagem, uma vez que proporcionam, por um lado, acessibilidade ao material usado e, por outro, um potencial utilizador para a reciclagem.

Comissionado pela Huhtamaki, o fornecedor global de soluções de embalagens sustentáveis, o relatório visa identificar e aumentar a compreensão dos principais motores necessários para uma economia circular funcional, na qual, em causa, as embalagens não são apenas recicláveis, mas recicladas.

"O estudo prevê um aumento significativo da capacidade de reciclagem de produtos químicos industriais nos Estados Unidos, Europa e Ásia Oriental nos próximos 3 a 4 anos. Os polímeros quimicamente reciclados podem ser incluídos na embalagem de alimentos após a despomerização total, enquanto na prática, os polímeros reciclados certificados como material de contacto alimentar estão principalmente limitados a rPET, usado principalmente em garrafas", diz Mona Arnold, cientista principal da VTT.

"Acreditamos que é necessário um verdadeiro impulso para uma mudança sistémica – que vai além das empresas individuais e que une cadeias de valor – para uma circularidade de baixo carbono. Não basta fabricar produtos recicláveis; precisam de ser reciclados. Isto requer a construção dos sistemas para reciclar todos os resíduos e concentrar-se na redução da nossa pegada de carbono coletivamente. Isto só será possível através de inovação e parcerias em toda a cadeia de valor. A utilização eficaz de sistemas de responsabilidade alargada do produtor para a construção de um sistema material positivo para embalagens alimentares adequadas para fins específicos também será útil. O relatório da VTT descreve como fazer isso acontecer e esperamos que atue como ponto de referência para apoiar a colaboração entre a indústria, a sociedade civil e os governos", diz Thomasine Kamerling, EVP Sustainability and Communications da Huhtamaki.

A Huhtamaki tem uma ambiciosa agenda de sustentabilidade para 2030, incluindo o compromisso de conceber 100% dos seus produtos para serem recicláveis, compostáveis ou reutilizáveis. A empresa pretende ainda ter mais de 80% das matérias-primas que utiliza para serem renováveis ou recicladas.

Para o concretizar, a Huhtamaki precisa garantir que os materiais de embalagem, que fornecem acesso a alimentos seguros e acessíveis e ajudam a prevenir o desperdício alimentar, sejam reciclados após a utilização de formas que maximizem o seu valor tanto para o planeta como para as pessoas, e, portanto, ajudam a fornecer uma economia circular de baixo carbono.