fbpx

A Domino Printing Sciences entrou em parceria com a Procter & Gamble (P&G) para o desenvolvimento de uma solução táctil inclusiva para a etiquetagem de produtos, com o objetivo auxiliar os consumidores com deficiência visual na distinção dos produtos de cuidados pessoais durante a utilização.

Para quem vive com deficiência visual, distinguir a embalagem de champô da embalagem de amaciador pode ser algo complicado. Até para os consumidores com visão reduzida pode ser complicado identificar os produtos onde geralmente não são utilizados auxiliares de visão como óculos, lentes de contacto ou lupas.

domino PG2

"Na maior parte dos casos, as embalagens de champô e de amaciador são concebidas para terem um aspeto idêntico", afirma Sumaira Latif, consultora especializada em design inclusivo da P&G, também registada como invisual. "Percebemos que temos uma enorme oportunidade para melhorar os nossos produtos e as nossas embalagens, encorajando outras empresas a fazerem o mesmo."

Tornou-se claro que o Braille não seria a solução ideal, uma vez que existem muito poucos utilizadores de Braille. Nos Estados Unidos, por exemplo, menos de 10% das pessoas com o mais elevado nível de deficiência visual, ou seja, as pessoas legalmente registadas como invisuais, sabem ler este sistema de escrita táctil.  Por conseguinte, ambas as empresas procuraram desenvolver uma alternativa mais universal que pudesse tornar as embalagens mais acessíveis a todos os que têm perdas parciais ou totais de visão.

Para garantir que a nova abordagem de linhas e círculos funcionaria para os consumidores, a P&G apresentou as embalagens codificadas bio:renew da Herbal Essences ao Royal National Institute of Blind People (RNIB) no Reino Unido, para serem testadas por consumidores. Um grupo de acompanhamento composto por consumidores com deficiência visual aprovou o novo design inclusivo das embalagens, recebendo diversas avaliações positivas por parte de quem vive com perda de visão parcial ou total.

O objetivo a longo prazo do projeto da P&G é encorajar mais fabricantes a criarem designs inclusivos para as embalagens de produtos de beleza e cuidados pessoais, muitas vezes utilizados por consumidores com deficiência visual em momentos que os impedem de usar óculos ou lentes de contacto.